18/10/2009

A carta 4


O delegado manda levar Marcelo de volta pra cela e chama Marcos dizendo a ele pra dar um jeito de ajudar Marcelo pois ele vai soltá-lo em breve. E Marcos vai pra pensão acertar com dona Janete e levar as coisas de Marcelo para a sua casa, enquanto isso Nando, já na fábrica fazendo o treinamento para dar inicio ao seu sonho de ser alguém na cidade grande, ele só pensa em aprender fazer tudo direito e se dar bem na fábrica, o tempo passa e chega a hora do intervalo para o almoço, como Nando chegou muito cedo na fábrica ele não encontrou Clara no ônibus, ele vai para a lanchonete e encontra Clara trabalhando, com um bonezinho colorido na cabeça uma camiseta e uma calça jeans. Ele se lembra da primeira vez que ele entrou na lanchonete e viu Clara com aquele uniforme e riu dela. Hoje ele é mais discreto e senta se à mesa e chama Clara para servi-lo, Nando pede um refrigerante e como ela está meio ocupada ela diz que depois que ele sair da fábrica eles conversam, Nando estranha a atitude de Clara mas entende que ela está trabalhando e dá um beijo na mão de Clara. Ela diz que vai esperar por ele na hora que ele sair da fábrica, meio aborrecido com a atitude séria de Clara ele volta para a fábrica onde tem que recomeçar o treinamento que foi interrompido pelo horário de almoço. Ao retornar para o treinamento Nando se concentra ao máximo e tenta fazer tudo certo para que consiga aprender o trabalho e se afirmar na empresa. Ao fim do dia Nando sai da fábrica e vai correndo em direção à lanchonete para ver Clara. Ela está sentada junto a uma mesa na entrada da lanchonete esperando Nando, quando ela vê Nando chegar, dá um suspiro longo e quando eles se encontram, rola um beijo ardente entre eles e mal sabem os dois pombinhos que isso é um amor que está nascendo entre eles e será até o fim da vida dos dois. Nando e Clara saem da lanchonete e Clara começa a falar com Nando:
- Eu vou ser sincera com você, eu nunca senti nada igual por ninguém antes. Depois de conhecer você
minha vida mudou um pouco, eu penso em você o tempo todo e confesso que não sei se isso é bom.
Sabe, eu queria que fosse diferente, mas não é. Diz Clara.
- Eu posso dizer a mesma coisa, apesar de já ter outra namorada antes de conhecer você, eu posso dizer
com certeza que eu nunca senti nada igual por ela. O que eu sinto por você é muito mais forte e mais
verdadeiro. Com você é diferente, eu sinto que estou a cada dia mais ligado em você. Diz Nando. - Espera um pouco. Diz ela. Se você diz que gosta mesmo de mim tanto assim, vamos começar pelo jeito
mais certo, vamos falar com meus pais e fazer tudo como deve ser, uma coisa séria com o
consentimento dos meus pais. Completa Clara.
- Bem, se é assim que você prefere, pode ficar tranqüila, é só marcar um dia que eu vou lá e converso
com eles, acertamos tudo e fazemos tudo direito. Desde que o seu pai não saia correndo atrás de mim
com um facão na mão. Brinca Nando.
- Bem, então domingo você vai lá em casa e conversa com os meus pais. E depois disso a gente pode
namorar tranqüilo sem correr nenhum risco de ter alguma surpresa. Diz Clara.

1 comentários:

linkselinksnet disse... at 25 de outubro de 2009 20:00

Serjão
Você está com o mesmo tema nos 3 blogs...hehehe
Muda o layout de dois...
E já programei postagens com templates maravilhosos...você vai ficar tentado...rs
Bjs
Vera